A convite da Associação Brasileira de Automação para o Comércio, o SESCON-SP foi convidado a participar do Grupo Técnico de Estudos que discute a uniformização da NFS-e e alterações do ISS,      integrado pela AFRAC, FECOMERCIOSP, CAT e outras entidades do setor de serviços.

  A reunião de alinhamento entre as entidades, a fim de encontrar uma solução sobre os temas em questão e com objetivo de melhorar o ambiente de negócios do Brasil, aconteceu na última quinta-feira, 27  de julho, na sede da Associação, em São Paulo.

 No encontro, que discutiu os assuntos relacionados a Notas Fiscais eletrônicas de produto e serviços, a AFRAC apresentou um estudo que demonstra algumas vantagens e desvantagens dos dois modelos de notas adotados em alguns municípios do Brasil: NF-e e NFS-e, e propôs uma definição de padrões entre elas.

O assunto vem sendo discutido devido uma proposta de projeto que está sendo desenvolvida pela Receita Federal do Brasil no intuito de implementar uma solução nacional unificada para emissão de notas fiscais, que terá a NBS (Nomenclatura Brasileira de Serviços, Intangíveis e outras operações que produzam variações no patrimônio) como classificador padrão para a descrição de serviços.

Logo depois, os representantes das entidades debateram alguns pontos do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza – ISS, propondo algumas mudanças e alterações no intuito de simplificar a vida dos contribuintes.

Participaram da reunião o vice-presidente Administrativo da AESCON-SP, Wilson Gimenez Júnior, os diretores Financeiro e Social do SESCON-SP, Benedicto David Filho e Demétrio Cokinos, respectivamente, o VP de Relações Institucionais da AFRAC, Edgard de Castro, a diretora Executiva, Larissa Marcondes, e a Advogada da Associação, Lúcia Correia, e o diretor de Suporte Técnico da Software Express, Ronaldo Veronesi. O gerente Operacional, Administrativo e de Serviços do SESCON-SP, Eduardo Lobato, também esteve no encontro.

Fonte: Área de Conteúdo SESCON-SP