Seis meses de Pix: como avançamos e quais são os próximos passos?

Por Exame, em 27 de Maio.

Com seis meses de operação, Pix alcançou quase 40% dos brasileiros; confira como sua implementação tem transformado o sistema financeiro e o que vem a seguir.

Funcionando há pouco mais de seis meses, o novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, o Pix, foi desenvolvido pela autarquia para oferecer um sistema de transações que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, com uma velocidade muito maior do que as TEDs e DOCs, sem nenhum custo ou limite de transações para pessoas físicas.

Com a intenção de estimular o uso de meios digitais como forma de pagamento, fomentando um acesso mais democrático ao sistema financeiro nacional, o Pix já transacionou mais de 1 trilhão de reais desde o início de suas operações, atingindo aproximadamente 82 milhões de brasileiros, quase 40% de toda a população do país.

Entretanto, por mais que o novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central já tenha caído no gosto de uma boa parcela dos brasileiros, o Pix ainda precisa superar alguns desafios para que sua adoção se torne ainda maior, alcançando a população em idade mais avançada e, as áreas mais remotas do país, nas quais o acesso às telecomunicações ainda é precário e a população ainda não possui um acesso tão amplo a esse tipo de tecnologia.

No episódio mais recente do podcast do Future of Money, Gabriel Rubinsteinn, Lucas Yamamoto e Lucas Josa discutem sobre o funcionamento do Pix, explicando quais foram as principais mudanças no sistema financeiro após sua implementação e debatendo sobre os maiores desafios que o novo sistema de pagamentos terá de superar para atingir toda população brasileira. 

Fonte: EXAME

 

AFRAC

Esteja à frente sempre!
Seja o primeiro a saber das novidades do segmento e mantenha o seu negócio inovador e rentável. Associe-se!



Endereço

R. Prof. Aprígio Gonzaga, 35
Conjunto 64
São Judas, São Paulo - SP, 04303-000



Contatos

 Telefone: +55 11 3284-7080