Medidas do BC para promover a acessibilidade no Pix inclui a criação de página que elenca as instituições que possuem soluções para públicos com deficiência visual, auditiva ou física.

Por Banco Central em 06 de Julho.

Ao mesmo tempo em que é um instrumento de baixo custo, seguro e que pode ser utilizado nas mais variadas situações de transferência de recursos, o Pix também tem como um de seus objetivos democratizar o acesso de toda a população aos meios de pagamentos eletrônicos, sendo necessário garantir sua usabilidade a todos, inclusive às pessoas com deficiência.
 
Com esse objetivo, o BC definiu diretrizes de acessibilidade para a experiência do usuário, a serem observadas pelas instituições que ofertam o Pix, e criou uma página específica para o tema em seu site.
 
“Para entender mais a fundo as dificuldades enfrentadas e as soluções que podem ser adotadas para facilitar o uso do Pix com autonomia, a equipe do Banco Central contou com a colaboração de algumas entidades, tais como Fundação Seli, Laramara, Para Todos Verem e a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo”, conta Rojane Abranches, analista do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro (Decem), no Banco Central.
Na página de acessibilidade no Pix estão informações relacionadas ao tema, vídeos explicativos sobre o Pix com tradução em Libras, bem como uma lista com as instituições participantes do Pix que declararam possuir soluções voltadas à acessibilidade, detalhando as soluções adotadas para cada público atendido (pessoa com deficiência visual, auditiva ou física). 
 
Algumas das tecnologias assistivas que possuem o propósito de ampliar a acessibilidade e que são estimuladas pelo BC são o uso de assistente virtual em Libras, o uso de vídeos explicativos e a integração dos aplicativos aos leitores nativos dos celulares, com clareza na descrição das funcionalidades.
 
Com essa divulgação transparente das soluções adotadas pelas instituições, o BC espera ser, ao mesmo tempo, uma fonte de consulta para que as pessoas possam identificar as instituições que podem prestar melhor atendimento, bem como estimular que as outras instituições desenvolvam e implementem soluções visando oferecer o Pix de forma inclusiva.
 
Depoimento           
Confira ainda o relato do analista de sistemas Leonardo Gleison (pessoa com deficiência visual), que fala sobre sua experiência e a importância das soluções de acessibilidade para facilitar ainda mais o uso autônomo do Pix. 
 

AFRAC

Esteja à frente sempre!
Seja o primeiro a saber das novidades do segmento e mantenha o seu negócio inovador e rentável. Associe-se!



Endereço

R. Prof. Aprígio Gonzaga, 35
Conjunto 64
São Judas, São Paulo - SP, 04303-000



Contatos

 Telefone: +55 11 3284-7080